BLOG

Prática de bullying é tão grave quanto o abuso sexual, diz estudo americano

bullying

Vítimas de provocações persistentes tem mais chances de desenvolver depressão, ansiedade e estresse pós-traumático. No entanto, quando se trata de bullying, o assunto é mais sério do que se imaginava. Um estudo da Universidade de Illinois, nos EUA, mostra que a prática causa mais desses distúrbios do que o abuso sexual, por exemplo. Além disso, o trauma persegue a vítima por muito tempo, pelo menos até a faculdade.

Segundo a psicóloga Priscila Lima, o motivo principal da relação do bullying com outros tipos de violência mais agressivas está no impacto psicológico:

— É o cérebro dizendo que não está sabendo lidar com a situação. As consequências são drásticas e podem ser irreversíveis. Afeta o desenvolvimento cerebral, a cognição e o convívio social ficam abalados.

Uma pesquisa da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência revela que 41,6% das vítimas nunca procura ajuda ou fala sobre o problema, nem mesmo com os colegas.

‘Há um ganho do autor do bullying em ver a dor causada’

Entrevista à psicóloga e presidente executiva da Solace Institute, Paula Emerick:

O que leva o autor do bullying a praticá-lo?

São muitas as vertentes. Querer ser mais popular, sentir-se poderoso e obter uma boa imagem de si mesmo são exemplos. Há um ganho em ver a dor causada.

O espectador também participa do bullying?

Sim. A atitude passiva pode ocorrer por medo de também ser alvo de ataques ou por falta de iniciativa para tomar partido.

Como identificar o alvo do bullying?

Há uma ausência de habilidade social, de traduzir o que se pensa com a capacidade do que o outro pode entender.

 

Fonte: http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/pratica-de-bullying-tao-grave-quanto-abuso-sexual-diz-estudo-americano-20121385.html

 

 

Todos os Direitos Reservados | Solace Institute

Desenvolvido por Tec Software | YourSite