BLOG
Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider
Psicoterapia Infantil
Saiba mais sobre Psicoterapia Infantil
Conceito e Definição de Psicoterapia
Saiba mais sobre o conceito de Psicoterapia
A terapia comportamental: um histórico
Saiba mais sobre terapia comportamental
Liderança 5 qualidades do líder moderno
Conheça as qualidades do líder moderno

O que fazer para não prejudicar a relação

Quem não conhece casais que não sabem conciliar a chegada de um filho com o relacionamento entre eles e, por isso, deixam o casamento degringolar? Esse é um grande dilema enfrentado por quem tem filhos: o tempo a dois se torna cada vez mais escasso.

 

Para a psicóloga Paula Emerick, de 41 anos, especialista em Terapia de Família, um dos problemas que envolvem o fato de ter filhos é a falta de planejamento para tê-los. “De forma geral, as pessoas se planejam financeiramente e emocionalmente para uma série de coisas, como ganhar dinheiro, fazer o mestrado, mas não para ter filhos. Deveríamos investir o mesmo empenho nisso. As pessoas só investem quando a relação não está funcionando ou têm algum tipo de problema. O adulto é totalmente capaz de aprender isso para gerar um novo hábito, mas é preciso diligência”, comenta.

Transformação

Na opinião da terapeuta, não é exagero afirmar que a vida do casal se transforma completamente com o nascimento de uma criança. “Muda tudo, desde as pequenas rotinas da casa, no dia a dia, até as coisas maiores, como a visão de tomar conta da parte financeira do casamento. Agora, para os dois, é tudo uma renúncia, o que não se pode fazer é tornar a criança um fardo. Naturalmente para a mulher há uma sobrecarga. Algumas funções são atribuídas somente a ela até quando está grávida. Depois da gestação, ela tem que ter o tempo de resguardo, amamentando e cuidando da criança. Do ponto de vista legal, se ela trabalha, sua licença dura um tempo bem maior, enquanto para o marido é de apenas cinco dias. Por isso, na prática, a responsabilidade de cuidar mais da criança acaba ficando com ela”, explica.

Reprogramação

Para a psicóloga, a consequência mais visível é realmente a falta de tempo para o casal. Alguns homens passam a reclamar disso e a relação pode ficar fragilizada. “Conheço até casos de adultério. Normalmente, quando chega nesse ponto, recomendo buscar ajuda. O profissional vai ser o interlocutor entre o casal, no sentido de reprogramar essa relação, como se fosse uma agenda mesmo: ter um dia para a família, em que todos estejam envolvidos, e um dia para o casal sair para namorar e passar um tempo junto.”

Na opinião da especialista, o homem tem um papel fundamental para que a relação entre o casal seja de qualidade. Ficar só cobrando da mulher não funciona. “Não adianta entregar o trivial e querer o extraordinário. Para um encontro com a esposa, tem que se preparar, colocar a melhor roupa, sair mais cedo do trabalho para encontrá-la, pegar o carro e buscá-la em algum ponto, além de reservar um bom local para irem. Isso vai fazê-la se sentir valorizada.”

Cooperação

Na recuperação da relação ou para que não aconteçam problemas com ela, Paula recomenda que o homem seja mais cooperativo com a mulher e sua família. “Esse espírito também vai influenciar a criança. Quando ela entende e participa de uma atividade, como, por exemplo, lavar o quintal, ela cria uma unidade familiar e acaba com a sobrecarga de apenas um ter de fazer as coisas. Eles vão terminar aquela atividade mais cedo, estar menos exauridos e ainda sobrará mais tempo para todos”, explica.

Adaptação

Tiago Rodrigues dos Santos, de 30 anos, e Ana Rodrigues (foto acima), de 29, moradores de Várzea Paulista, no interior de São Paulo, é um exemplo de casal que teve de se adaptar à chegada da filha. “Estamos casados há quatro anos e tivemos a Vitória depois de um ano de casados. Quando ficamos sabendo que eu estava grávida, foi uma surpresa, não tínhamos planejado. Ela mudou nossa rotina. Como trabalho em casa, passo mais tempo com ela e brincamos juntas. Ela é muita ativa, não para e está sempre fazendo alguma ‘arte’”, conta.

Prioridades

Tiago trabalha como autônomo e consegue ter tempo ao lado da mulher e da filha nos finais de semana. “No começo, deixamos o casamento um pouco de lado para cuidar dela, mas depois percebemos que precisávamos de um tempo para nós. Agora sim sabemos nos organizar, ter o tempo com ela e também o nosso tempo de casal”, afirma Ana.

Relação saudável

Tiago parece ter assimilado bem essa ideia e auxilia a esposa sempre que pode. “Eu arrumo as coisas do meu jeito e procuro ajudar quando estou em casa. Quando temos algo programado, procuro me vestir bem para me encontrar com minha esposa. Se planejamos algo juntos, geralmente deixamos nossa filha com minha sogra. Eu e minha mulher temos um relacionamento saudável e não deixamos de dar atenção para a Vitória. Colocamos nossa filha como prioridade sem deixar o nosso casamento em segundo plano”, conclui Tiago.

 

Todos os Direitos Reservados | Solace Institute

Desenvolvido por Tec Software | YourSite